sábado, 30 de agosto de 2008




Dicas de trompete com Walmir Gil


A Importância do Aquecimento: Walmir Gil diz o músico jamais deve ignorar o aquecimento, pois uma performance é também uma atividade atlética que, em alguns trabalhos, pode ser considerado até de médio para alto impacto.Quando tocamos ou cantamos utilizamos centenas de músculos que precisam ser preparados e lembrados em que estarão envolvidos. Como trompetista, sugiro que se comece com um leve alongamento na região do pescoço e ombros, pois na garganta e pescoço temos vários músculos ligado à língua. Podemos seguir com, alguns exercícios de respiração, porque a quantidade de ar utilizada para tocar ou cantar difere da que usamos para falar. No mercado há excelentes livros para a prática de uma boa respiração, como os que acompanham alguns métodos: James Stamp ou 80 exercícios respiratórios de Svásthya Yoga (Ana Maria Marinho - Editora Global/Ground).Passamos a seguir para a parte aural, se o tempo permitir, que envolve exercícios de percepção (identificação de intervalos, acordes escalas, etc.). Para os trompetistas, há inúmeros e maravilhosos livros com diferentes rotinas, na qual o músico, de acxordo com suas necessidades, deve escolher o que melhor funciona ou se adapta ao seu tipo de trabalho. Sugiro também que o músico procure a orientação de um amigo ou professor, para que tenha certeza do caminho a percorrer.Falando da minha rotina: começo com os exercícios de alongamento, depois alguns exercícios de respiração, percepção e, em seguida toco algumas escalas no bocal ou sopro no lide pipe (depende do dia e do meu tempo disponível), aqueço com notas longas, intervalos, flexibilidade, escalas e, finalmente corro para a música!Preparo físico para o trompeteTecnicamente é um dos líderes de dificuldade entre os instrumentos de sopro. O fato de ter começado com a trompa, quando criança, ajudou Gil a se adaptar melhor à embocadura do trompete. "É um instrumento que exige uma manutenção bastante rigorosa de limpeza, ser guardado corretamente no estojo e, principalmente, a manutenção física do próprio instrumentista. O trompete é muito difícil de soprar, necessita muita resistência. Se você fizer uma maratona de instrumentistas de sopro, certamente os trompetistas serão os primeiros a parar de tocar. Depois viriam os que tocam trombone, tuba, clarinete e, por fim, o sax. Isso significa que, para agüentar tocar das 8 da manhã às 8 da noite é preciso manter a boa forma."Gil corre todos os dias de sua casa, no centro de São Paulo, até o Parque Ibirapuera, e lá completa a trajetória de 12 quilômetros. No dia da entrevista para esta matéria, Gil já havia cumprido sua tarefa . "Saí de casa às 5h30 e corri durante duas horas", conta. Só em dias de show e viagens, quando chega cansado, é que ele abre uma exceção.

Nenhum comentário: